+ infoAcontecer
Justiça & Paz
Liberdade de expressão ameaçada
Paquistão aperta cerco a utilizadores da internet
Texto Francisco Pedro | Foto DR | 01/11/2015 | 07:03
As autoridades paquistanesas estão a fazer um controlo cada vez maior dos conteúdos que circulam na rede digital e a denunciar os internautas que alegadamente ofendem a fé islâmica
imagem
Um relatório divulgado esta semana pela organização norte-americana Freedom House dá conta de um aumento no controlo oficial da internet por parte das autoridades paquistanesas, e do consequente acréscimo de denúncias por alegadas ofensas e insultos à fé islâmica e ao Corão. Com base na lei anti-blasfémia, as acusações atingem não só muçulmanos mas também membros das minorias religiosas.

Numa escala de 0 a 100, o documento atribui nota 69 ao Paquistão, colocando-o na categoria de falta de liberdade concreta no uso da rede mundial. Esta classificação confirma a deterioração da situação, depois do país ter obtido excecionalmente uma pontuação de «parcialmente livre», em 2011.

Segundo os investigadores, os serviços de segurança têm recorrido a software capaz de controlar modelos de telemóveis antigos, muito usados no país, e controlado iniciativas e indivíduos. Ao mesmo tempo, foi detetado um aumento das ameaças e pressões online, que têm contribuído para reduzir a liberdade de expressão.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.