+ infoAcontecer
Mundo
Menores africanos mobilizam-se pelos seus direitos
Texto F.P. | Foto Lusa | 16/06/2017 | 17:27
Movimento de jovens trabalhadores já conseguiu a alfabetização de mais de meio milhão de crianças em África. Está presente em 27 países e conta com mais de um milhão de simpatizantes
imagem
Organização não governamental espanhola juntou-se ao Movimento Africano de Meninos, Meninas e Jovens Trabalhadores, para ajudar os menores a prosseguirem a luta pelos seus direitos, que já se traduziu, por exemplo, na alfabetização de mais de meio milhão de jovens africanos.

«Hoje, 16 de junho, Dia Internacional da Criança Africana, é o momento perfeito para recordar que a infância e juventude africana em situação de vulnerabilidade não só é recetora de ajuda internacional, mas também se mobiliza ativamente para transformar a sua realidade e a nossa», afirmou a diretora da Xaley.org, Caroline Jérôme.

A origem do movimento remonta ao ano de 1994, quando um grupo de meninas analfabetas da Costa do Marfim em situação de pobreza extrema e obrigadas a trabalhar começaram a reunir-se e a organizar-se para reivindicar os seus direitos. Hoje, esta pequena iniciativa converteu-se num movimento presente em 27 países, com mais de um milhão de membros e simpatizantes.

No essencial, esta organização encarrega-se de zelar pela proteção da infância face aos maus-tratos e abusos cometidos nas suas comunidades, de promover espaços de apoio emocional para formação em liderança, incentivar à escolarização, alfabetização e educação para a saúde.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.