+ infoAcontecer
A Missão Conta
Moçambique
Administrador Apostólico de Tete visita Fingoè
Texto Diamantino Antunes | Foto Diamantino Antunes | 05/09/2017 | 15:07
O Administrador Apostólico de Tete, padre Sandro Faedi, missionário da Consolata, fez a sua primeira visita à paróquia de Nossa Senhora da Consolata de Fingoè
imagem
Acolhido fraternalmente pelos seus confrades, padres Franco Gioda, Jacinto Mwalongo, Leonel Toledo e Carlos Biella, o Administrador Apostólico de Tete aproveitou o primeiro dia da visita para conhecer as instalações da nova paróquia: o lar masculino Consolata em construção e a casa das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras, recém-chegadas a Fingoè; e para reunir com os missionários, onde fez uma avaliação dos seus primeiros três meses de governo pastoral da diocese de Tete.

No encontro comunitário, Sandro Faedi apresentou ainda os objetivos da sua ação pastoral nas áreas da Pastoral Juvenil e Vocacional, Pastoral Familiar, Catequese e Formação dos Catequistas e dos Pobres e Promoção Humana. Após a reunião, inteirou-se da situação pastoral das paróquias confiadas aos Missionários da Consolata na Marávia e Zumbo e celebrou a Eucaristia na igreja paroquial de Fingoè onde foi acolhido pela comunidade cristã.

O segundo dia da visita foi dedicado à paróquia e missão de Nyamawende, em Uncanha. Pelo caminho, ficou a conhecer as novas comunidades cristãs recentemente fundadas, com o respetivo lugar de culto, em algumas aldeias à beira da estrada. Antes de chegar à paróquia de Nyamawende, esperava-o um grupo de cristãos, que formou uma procissão, e ao som de cânticos, o acompanhou lentamente até à igreja paroquial.

Depois das saudações e confissões, iniciou-se uma Missa, presidida pelo Administrador Apostólico, num templo lotado de fiéis. A celebração prolongou-se para além das 13h00, com cânticos e danças em abundância. Um clima propício para o padre Faedi agradecer o trabalho realizado em tão pouco tempo. O que há pouco de mais de dois anos era floresta, é agora um lugar amplo, limpo e com as estruturas pastorais fundamentais: igreja, pequena residência, um armazém e um poço ao serviço da população.

No período da tarde, o sacerdote dirigiu-se para a antiga missão do Sagrado Coração de Jesus de Uncanha, situada a três quilómetros de distância, junto da estrada que se dirige para o Zumbo. No vasto terreno da missão trabalha-se para instalar e colocar em funcionamento, em 2018, a formação de catequistas inter-paroquial da Marávia e Zumbo. Já se estão a concluir os trabalhos de recuperação da antiga residência dos padres. Foi delimitado o espaço para a edificação das casas dos catequistas que cada zona pastoral irá construir para as famílias enviadas pelas suas comunidades cristãs. A ideia é recuperar outros edifícios destruídos para salas de aulas e capela. Esta é uma obra estruturante para a formação dos catequistas e animadores desta vasta região pastoral. O Administrador Apostólico louvou e encorajou a iniciativa.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.