+ infoAcontecer
Opinião
Horizontes
25 anos de vida a dois: obrigado!
Texto Opinião | Teresa Carvalho | 05/11/2017 | 13:47
Adélia e Gabriel acolheram agradecidos a onda de calor humano que receberam como sendo o retorno daquilo que partilharam: a vida
Adélia e Gabriel subiram juntos a escadaria do altar. Voltaram-se para a assembleia e deram as mãos. Era de mãos dadas que queriam agradecer a Deus terem-se encontrado no caminho, há 25 anos, e terem seguido juntos, apostando no amor. A oração sentida e emocionada fez-se ouvir: «Cá nos tens de novo, Senhor! Há 25 anos, viemos pedir-Te a tua bênção para o nosso amor e para a família que nesse dia, nos comprometemos a construir, Contigo. E Tu abençoaste-nos! Consagraste o nosso amor!

Ao longo de 25 anos, a tua mão e o teu amor, sempre nos acompanharam: foste nosso mestre, nosso guia, o nosso cuidador! Estavas na noite estrelada e no amanhecer turbulento; estavas na cor do arco-íris e no rebento de nova planta a florir. Estavas na lágrima e no riso, no jogo e na azáfama. Alimentaste-nos no sonho e sustentaste-nos nas dúvidas e nos impasses. Confiaste-nos os nossos filhos Lucas e Maria, e com eles, ensinaste-nos a dimensão do amor sem medida e possibilitaste-nos a experiência maravilhosa de quanto o amor faz acontecer. Com eles, experimentámos mais de perto o tamanho do teu amor.

Fortaleceste os laços entre as nossas famílias. Nelas, sentimos a unidade, aprendemos a partilha e fomos incentivados nos desafios. Juntos, engrandecemos a alegria e amenizámos os pesos. Alguns já estão junto de Ti: mas a sua fé, o seu viver de entrega, o seu amor transformado em vida, permanecem lição e fortificam a nossa aliança. Presenteaste-nos com amigos que se fizeram sempre presentes, nos acolhem e ajudam a crescer e a sentir o prazer da vida. Meu Deus, tens ido à nossa frente! Nem sempre Te vimos. Nem sempre confiámos. Nem sempre Te seguimos. Nem sempre nos deixámos desafiar. Nem sempre agradecemos. Nem sempre amámos. Mas, sabemos que podemos continuar a contar contigo. Dá-nos a tua bênção. Revitaliza o nosso amor! Fortifica a nossa família! Fica connosco, sempre, Senhor Jesus!»

Terminada a oração, Adélia e Gabriel olharam-se ternamente, agradecidos. A assembleia aplaudiu, juntando-se ao «obrigado» por tanta bênção com que, ao seu jeito, cada um sentia também ter sido agraciado. Ainda antes de descerem a escadaria do altar, foram surpreendidos com os filhos a irem ao seu encontro logo seguidos do irmão de Adélia, da irmã de Gabriel e de um amigo.

Cada um deles vinha agradecer aquilo que, da vida de ambos, tinha tido reflexo no bem-estar de muitos outros: a presença que marcaram; o apoio concedido; o festejo com as alegrias; a disponibilidade para estar, para ouvir, a confiança que ofereceram, os braços abertos para acolher, a sabedoria para orientar e o respeito pela liberdade de decisão.

Adélia e Gabriel acolheram agradecidos a onda de calor humano que receberam como sendo o retorno daquilo que partilharam: a vida. Reconhecem a sua condição de aprendizes face à grandiosidade de amar, mas genuinamente agradecidos à beleza e à alegria de viver, apostando na criação de laços que unem e possibilitam voos bem mais arrojados no seu caminho a dois.
Seguros, com Cristo a marcar o ritmo, e deixando-se enriquecer na aventura de abrir os braços para um abraço acolhedor, a vida conta com eles para mais aprendizagens de amor.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.