+ infoAcontecer
Mundo
Colheitas não afastam cenário de fome no Sudão do Sul
Texto F.P. | Foto Lusa | 07/11/2017 | 07:03
Esperava-se que a campanha agrícola contribuísse para aliviar o sofrimento da população, mas a ameaça de fome continua a pairar em várias regiões do país
imagem
Os níveis de desnutrição continuam a aumentar no Sudão do Sul e nem a temporada de colheitas se afigura como um grande alívio para a população, pois o conflito iniciado em 2013 mantém-se ativo em quase todo o país e o aumento constante da inflação coloca os alimentos fora do alcance da maioria das pessoas.

«A temporada de colheita não trouxe um grande alívio para os milhões de sul-sudaneses que carecem de alimentos. O cinturão verde do país foi devastado pelos combates, e encontrar uma solução pacífica para esta tragédia provocada pelo homem deveria ser a principal prioridade, ou a situação ficará pior no próximo ano», alerta o representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), Serge Tissot.

Segundo um relatório recente da FAO, prevê-se que a situação alimentar no Sudão do Sul piore no início de 2018, pois a temporada entre colheitas, que deixa as famílias sem alimentos, começou três meses antes do habitual. A situação mais preocupante, de acordo com os responsáveis da agência da ONU, vive-se na região de Wau, onde pelo menos 15 por cento da população enfrenta a fome, e a insegurança limitou consideravelmente as atividades de subsistência e de ajuda humanitária. A FAO defende, por isso, a abertura urgente de um corredor humanitário para que possa ser levada ajuda à população.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.