+ infoAcontecer
Fátima
Santuário prepara novo ano pastoral
Texto F.P. | Foto DR | 27/11/2017 | 13:10
Tema escolhido tem como horizonte os próximos três anos e visa prolongar e aprofundar o Centenário das Aparições, por forma a consolidar os dinamismos criados ao longo dos últimos anos de caminhada para o Jubileu
imagem
O novo ano pastoral no Santuário de Fátima será iniciado no próximo dia 2 de dezembro, com uma sessão no salão do Bom Pastor, no Centro Pastoral Paulo XVI, a partir das 15h00. Além das intervenções do reitor do santuário, padre Carlos Cabecinhas, e do bispo da diocese Leiria-Fátima, António Marto, está prevista ainda a apresentação do tema por José Rui Teixeira, professor da Universidade Católica, e de um momento musical interpretado pela Schola Cantorum Pastorinhos de Fátima.

«Este tempo que agora se abre foi olhado pelo Santuário de Fátima no horizonte de um triénio e o itinerário delineado propõe-se, precisamente, prolongar e aprofundar o Centenário das Aparições e promover a consolidação dos dinamismos criados. Concluído o Centenário e um itinerário de sete anos, o santuário abre agora um novo ciclo de três anos, intitulado genericamente como “Tempo de Graça e misericórdia”, que sugere para cada ano um tema especifico», explica, numa nota, a sala de imprensa do santuário.

Assim, o primeiro ano pastoral será vivido sob o tema «Tempo de graça e misericórdia: dar graças pelo dom de Fátima», através do qual será sublinhada «a consciência do dom recebido, iniciativa gratuita e amorosa de Deus». Para 2018-2019, o lema será o «Tempo de graça e misericórdia: dar graças por peregrinar em Igreja», e evoca «a dimensão eclesial deste dom à Igreja e à humanidade, para a Igreja e para o mundo». Por fim, o ano de 2019-2020, inspirado «pela vocação à santidade, dom e tarefa, será designado por `Tempo de graça e misericórdia: dar graças por viver em Deus´».

A este triénio celebrativo estarão associados outros acontecimentos que serão transversais aos três anos pastorais: «a restauração da diocese de Leiria, ocorrida em 17 de janeiro de 1918; a morte de Francisco Marto, em 4 de abril de 1919; a edificação da Capelinha das Aparições, nos meses primaveris de 1919; a morte de Jacinta Marto, em 20 de fevereiro de 1920; a construção da escultura de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, neste mesmo ano; e, ainda em 1920, o início do labor pastoral de D. José Alves Correia da Silva como bispo de Leiria», adianta a mesma nota.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.