+ infoAcontecer
Mundo
Civis debaixo de fogo no Iémen
Texto F.P. | Foto Almigdad Mojalli / VOA | 13/02/2018 | 15:51
Coligação liderada pela Arábia Saudita continua a efetuar bombardeamentos aéreos, enquanto as forças não governamentais recorrem a explosivos e a francoatiradores
imagem
O alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Al Hussein, manifestou-se alarmado com o aumento da violência no Iémen, sobretudo a que está a atingir e a pôr em perigo os civis. A coligação internacional continua a lançar ataques aéreos e as forças dos houthis recorrem aos francoatiradores.

A semana passada, um bombardeamento dos combatentes contrários ao Presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi causou a morte a pelo menos três crianças. E uma funcionária da Comissão Nacional de Inquérito do Iémen também foi morta por uma explosão.

Hussein lembrou, por isso, que os envolvidos no conflito têm a obrigação de poupar os civis, respeitando os princípios da distinção, proporcionalidade e da precaução. Entre março de 2015 e 8 de fevereiro de 2018, a agência de Direitos Humanos registou 5,9 mil mortos e quase 9,5 mil feridos pelo conflito no Iémen.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.