+ infoAcontecer
Mundo
Papa faz «exortação à paz» em novo filme
Texto J.B. | Foto Wim Wenders | 13/03/2018 | 17:31
Francisco fala sobre os «principais desafios globais» da atualidade, através de um documentário que vai estrear em maio, nos EUA
imagem

O trailer do filme «Pope Francis – A man of his word» foi apresentado nesta terça-feira, 13 de março, data em que se assinala o quinto aniversário de eleição do pontífice. A nova película foi produzida pelo cineasta alemão Wim Wenders, e vai estrear no próximo dia 18 de maio, nos Estados Unidos da América (EUA).

 

A produção transmite «as ideias do Papa e a sua mensagem», particularmente o seu «trabalho de reformas» e as suas «respostas às questões globais atuais». «A partir da sua profunda preocupação com os pobres e com a desigualdade na distribuição de rendimentos, o seu empenho nos temas ambientais e de justiça social, o Papa Francisco envolve o público diretamente e faz uma exortação à paz», indicam os serviços de comunicação do Vaticano.

 

A película mostra também o Papa nas suas viagens internacionais, incluindo a visita à Cova da Iria, o discurso na ONU, e as visitas a cadeias e campos de refugiados. O filme apresenta ainda o Sumo Pontífice a falar sobre os «principais desafios globais de hoje», como a morte, a justiça social, a imigração, a ecologia, as desigualdades, o materialismo ou o papel da família.

 

Segundo Wim Wenders, presidente da Academia de Cinema Europeu, a produção é o resultado de dois anos de trabalho. «Foram quatro sessões de longas entrevistas, meses na sala de edição e filmagens em Assis, cidade natal de São Francisco, para realizar uma obra em que o Papa pudesse falar diretamente a cada um, face a face, das suas preocupações», explicou, em declarações ao portal «Vaticano News».

 

«Já tinha a maior consideração pelo Papa Francisco antes de o conhecer, mas encontrá-lo pessoalmente, vê-lo e ouvi-lo todos os dias na sala de edição e ler as suas comunicações em todo o mundo para refugiados, presos, políticos, cientistas, crianças, ricos ou pessoas pobres, fizeram-me perceber o quanto é corajoso, e sem medo. E esse seria o meu desejo: que ele nunca perca essa coragem implacável», disse o realizador. O filme partiu da vontade expressa por monsenhor Dario Edoardo Viganò, prefeito da Secretaria para a Comunicação da Santa Sé, e resulta de uma co-produção com o Vaticano.

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.