+ infoAcontecer
Fátima
«Fátima suporta o sofrimento dos que se sentem ameaçados»
Texto J.B. | Foto FM | 13/04/2018 | 16:13
O vice-reitor do Santuário de Fátima deixou uma mensagem de esperança e alento aos peregrinos, durante a Eucaristia que assinalou a peregrinação mensal de abril
imagem

Recordar os relatos dos três pastorinhos, que se tornaram um marco na história, foi o convite lançado por Vítor Coutinho, sacerdote e vice-reitor do Santuário de Fátima, aos fiéis que participaram na Eucaristia da peregrinação mensal de abril, esta sexta-feira, dia 13. «Deus aceita fazer parte da nossa história e é fiel ao compromisso de não nos abandonar», demonstrou o sacerdote.

 

Segundo Vítor Coutinho, o templo da Cova da Iria é um «lugar que faz memória de que Deus não deixa a humanidade». «Fátima é um lugar que acolhe uma mensagem importante», motivo pelo qual «suporta o sofrimento daqueles que se sentem ameaçados pelo mundo», de que é exemplo cada peregrino, considera o sacerdote. Nesse sentido, o vice-reitor do Santuário de Fátima salientou que é importante ter em consideração que os relatos dos três videntes «reafirmam à humanidade», que «Deus habita» no mundo, assim como «junto da vida de cada ser humano».

 

O sacerdote recordou aos fiéis presentes na Basílica da Santíssima Trindade, que os pastorinhos contaram ter recebido uma mensagem vinda de um anjo, em 1916, que afirmava que «Deus não é indiferente às angústias» das pessoas e que as acompanha. «Deus quer estar a nosso lado, nas nossas tristezas e consolar as nossas dores», afirmou o religioso.

 

Apesar das narrações das três crianças remeterem para um período distante, Vítor Coutinho realça que o seu conteúdo aplica-se ao presente. «A Mãe de Deus aqui em Fátima assegura uma mensagem que ainda é atual: `não desanimes, eu nunca te deixarei`», demonstrou o responsável.

 

Para o vice-reitor do Santuário de Fátima, deixar-se `inundar´ pelo «mistério de Fátima» é «sentir o amor, condição essencial à vivência da fé», e motivo pelo qual, ao longo do tempo, Fátima oferece uma «possibilidade de consolo». O responsável acredita que na Cova da Iria existe «um convite à oração, sinal que Deus» escuta cada peregrino, contribuindo para «tornar este mundo de acordo com Deus», colocando-O no «centro da vida».

 

Por todos estes motivos, o sacerdote remete para a esperança que emana das experiências vividas por Francisco, Jacinta e Lúcia. «Fátima é mais que uma revelação irrelevante, Fátima é um caminho possível. A Mensagem de Fátima é uma mensagem de esperança», destacou o religioso, citado pelos serviços de comunicação do templo mariano. Para esta celebração, fizeram-se anunciar junto dos serviços do Santuário de Fátima quatro grupos de peregrinos provenientes do Brasil, Itália e França.

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.