+ infoAcontecer
Fátima
XI Conferência Regional do IMC
Consolata quer reforçar presença missionária nas paróquias
Texto Albino Brás | Foto Albino Brás | 30/04/2018 | 12:14
Documento aprovado na XI Conferência Regional aponta a necessidade de reavaliar e reforçar a presença do Instituto Missionário da Consolata em ambiente pastoral paroquial
imagem
A XI Conferência Regional do Instituto Missionário da Consolata (IMC) em Portugal, que se realizou em Fátima entre 23 e 28 de abril, terminou com a aprovação de um documento com 43 pontos, que servem de orientação para os próximos seis anos e definem como linhas estratégicas a opção missionária pelas periferias existenciais, a necessidade de reavaliar e reforçar as presenças IMC em ambiente pastoral paroquial e a consolidação do caminho já iniciado rumo à continentalidade europeia.

Desenvolvido com base no lema «Discípulos missionários em saída, em Portugal», o encontro centrou-se em três temas principais: centralidade de Cristo, revitalização comunitária e «ad gentes» em Portugal. Cada participante recebeu o Instrumentum Laboris (documento de trabalho) preparado para o efeito - um texto que foi beber aos documentos do Capítulo Geral, da assembleia pós-capitular para a Europa, do Magistério da Igreja, e aos contributos que o Superior Regional pediu previamente a todos os missionários.

Além dos 43 missionários da região portuguesa do IMC, participaram na Conferência dois membros da direção-geral, com sede em Roma: os padres James Lengarin (vice-Superior-geral) e Antonio Rovelli (Conselheiro Geral para o continente Europa), e ainda dois superiores regionais: os padres Michelangelo Piovano (Superior Regional da Itália) e José Luís Pereyra (Superior da delegação Espanha).

No final, o padre Antonio Rovelli enalteceu a «beleza» do documento conclusivo, mas alertou que só terá efeitos se cada missionário for presença ativa na sua própria comunidade. «Trata-se de por em prática o que o documento pede, para que não seja apenas um belo documento», observou, concluindo com uma citação de Séneca: «Não há vento favorável para o marinheiro que não sabe para onde ir».

Já o Superior Regional do IMC em Portugal, padre Eugénio Butti, considerou esta Conferência Regional como «histórica» e um marco para o futuro da congregação no nosso país e na Europa. «A partir desta Conferência, estamos dispostos a começar esta caminhada nova (a continental), e isso é muito importante», concluiu, agradecendo a presença dos missionários que vieram de outras regiões e dos oradores convidados – o padre José Tolentino Mendonça e o jornalista António Marujo.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.