+ infoAcontecer
Portugal
Solidariedade permite confecionar centenas de refeições por dia
Texto J.B. | Foto Cáritas Diocesana de Beja | 12/05/2018 | 11:24
Produtores de azeite da região do Baixo Alentejo ajudam a Cáritas local a fazer refeições para as pessoas apoiadas pelo organismo humanitário da Igreja Católica
imagem

A campanha «Azeite solidário, uma gota de esperança», promovida pelos responsáveis pela Cáritas Diocesana de Beja junto dos produtores de azeite do Baixo Alentejo, está a permitir confecionar perto de 300 refeições diárias, dando assim resposta às necessidades das pessoas mais desfavorecidas da região.

 

«Pretendemos angariar fundos para poder ajudar a suportar as despesas que a Cáritas tem na confeção de refeições que fornece aos seus utentes», refere Isaurindo Oliveira, presidente do organismo promotor da iniciativa, adiantando que a campanha é também uma forma de «aliciar a sociedade civil para atos de voluntariado, aumentando a sua participação em ações de solidariedade para com os mais desfavorecidos».

 

Vigente desde 2014, a campanha «marca pela positiva todos os seus destinatários», contribuindo desta forma para «colmatar as necessidades das famílias» e promovendo «os parceiros envolvidos que têm uma responsabilidade social reconhecida e associada a uma campanha que é dirigida a causas nobres e sociais», destaca Isaurindo Oliveira.

 

Cerca de dez agricultores dão o seu contributo para esta iniciativa social, um esforço que os responsáveis pela organização desejam alargar a outros produtos como a batata e o arroz. «Estes são produtos que não existem no baixo Alentejo, por isso fizemos o convite a algumas organizações e esperamos obter algumas respostas positivas», disse o presidente do organismo.

 

No último ano, a organização serviu cerca de 105 mil refeições, numa média de 287 refeições diárias. «Estas refeições foram fornecidas através de várias valências como a cantina e refeitório social, mas também o apoio domiciliário, com mais de 200 refeições diárias», referiu Isaurindo Oliveira, em declarações à Rádio Renascença (RR).

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.