+ infoAcontecer
Mundo
Equipa missionária ajuda a recuperar capela
Texto Diamantino Antunes | Foto Nelson Urasse | 21/05/2018 | 16:20
imagem: 1 2
Antigo professor e catequista foi homenageado e presenteado com uma bicicleta, comprada pela comunidade. Capela restaurada é dedicada a Nossa Senhora de Fátima
imagem
Um dos edifícios mais importantes de Itepela, antiga Catur, em Moçambique, é a igreja-capela dedicada a Nossa Senhora de Fátima. Foi inaugurada no dia 19 de junho de 1968, com a bênção do primeiro bispo de Lichinga, Eurico Dias Nogueira. Com os anos, a capela foi sofrendo a erosão do tempo e dos homens. A equipa missionária de Massangulo tem reanimado a comunidade. Um trabalho que passa por visitas mais frequentes, organização da catequese, eleição dos novos responsáveis e reabilitação do templo.

Para recordar os 50 anos da inauguração da capela (construída pelos militares portugueses do Batalhão de Caçadores 1936, então a cumprir a sua comissão na Guerra Colonial no Catur), o padre João Nascimento e o seminarista Nelson, missionários da Consolata, puseram mãos à obra com o apoio dos cristãos e reabilitaram-na com pequenos trabalhos e pintura.

Para além da renovação das estruturas físicas, renovou-se também a direção da comunidade cristã. O catequista Luís Dauda, um antigo professor da missão, há muito anos que era o catequista-animador e `faz tudo´ da comunidade. O novo pároco de Massangulo agradeceu-lhe todo o trabalhado feito, mas constatando a necessidade de dar o lugar aos mais jovens na condução dos católicos de Itepela, convocou eleições e foram escolhidos novos responsáveis.

A celebração dos 50 anos da capela, o agradecimento pelo trabalho realizado pelo Luís Dauda e a tomada de posse dos novos animadores foram vividos num clima de festa. A ocasião não se fez esperar. A memória litúrgica da aparição de Nossa Senhora em Fátima, dia 13 de maio. Tudo foi preparado por todos, para ser a festa de muitos. De Massangulo vieram os jovens com a equipa missionária. Chegaram na véspera. Houve procissão de velas pelas ruas de Itepela. No dia seguinte a Missa Solene foi celebrada na capela renovada.

Foram apresentados os catequistas e animadores eleitos pela comunidade foi também a festa de despedida e agradecimento ao velho catequista Luís Dauda. A comunidade cristã muito lhe deve. Esteve sempre presente, sobretudo nos momentos difíceis. A comunidade e a equipa missionária mobilizaram-se e compraram-lhe uma bicicleta que ele há muito desejava. Ofereceram-lha durante a celebração de ação de graças e a alegria do antigo animador é difícil de descrever. Radiante, agradeceu o gesto da comunidade. Todos rezaram para que Deus lhe continue a dar forças para pedalar pelos caminhos de Itepela.

A localidade de Itepela fica a 20 quilómetros de Massangulo. O seu nome, antes da independência era Catur, como o nome do homónimo régulo, Manuel Catur. Este era um católico e líder de um regulado maioritariamente muçulmano.

Itepela foi também durante muitos anos a mais importante escola e capela da Missão de Nossa Senhora da Consolata de Massangulo e uma importante paragem na ligação ferroviária entre Cuamba e Lichinga. Com a guerra deu-se a interrupção da circulação ferroviária e a atual Itepela foi perdendo importância. Hoje, depois de muitos anos de interrupção, a linha férrea foi recentemente reabilitada. Os comboios já circulam e a estação de Itepela é uma paragem obrigatória. Nos dias em que há circulação de comboios o movimento de pessoas e mercadorias enche de vida e movimento esta terra.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.