+ infoAcontecer
Portugal
Solidariedade
Engenheiros disponíveis para atenuar efeitos dos incêndios
Texto J.B. | Foto DR | 09/08/2018 | 12:08
Profissionais portugueses anunciam a sua disponibilidade para participar em ações de recuperação ou prevenção associadas a fogos florestais
imagem

Os membros da Ordem dos Engenheiros (OE) disponibilizam-se para «colaborar com o governo, municípios e demais entidades», na sequência do incêndio florestal que deflagra em Faro desde a última sexta-feira, 3 de agosto. Os elementos da OE reforçam que «o papel dos engenheiros é crucial na prevenção e no estabelecimento de medidas de ordenamento florestal e do território, que minimizam as consequências destes acontecimentos», e alertam para a «necessidade de uma intervenção constante e planeada, efetivada por técnicos de que o país dispõe».

 

«Os engenheiros florestais e os engenheiros agrónomos, entre outros, são os profissionais mais capacitados a desenvolver e implementar aquelas medidas, que permitirão ao país enfrentar devidamente este flagelo e, nesse enquadramento, o seu papel não pode, nem deve ser ignorado», referem os membros da ordem, em comunicado.

 

A possibilidade da colaboração da OE foi também comunicada na sequência dos incêndios de Pedrógão Grande e Oliveira do Hospital, há cerca de um ano. Em junho de 2017 foi então criada a «Bolsa técnica solidária», à qual aderiram 474 engenheiros voluntários, que «nunca foram chamados a participar em qualquer ação de recuperação ou prevenção», lamentam os responsáveis pela iniciativa.

 

Segundo dados da Proteção Civil, o incêndio no distrito de Faro causou, até ao momento, 36 feridos: um grave e 35 leves, entre os quais se encontram 19 bombeiros. A força das chamas e do vento forte tem obrigado à retirada de pessoas das suas habitações. Estima-se que tenham ardido mais de 21 mil hectares.

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.