+ infoAcontecer
Mundo
Consolata ganha um novo sacerdote em Moçambique
Texto Diamantino Antunes | Foto Diamantino Antunes | 03/09/2018 | 17:35
Célio João Fumo é natural de Machava, uma paróquia da arquidiocese de Maputo. Comunidade mobilizou-se em peso para assistir à ordenação sacerdotal
imagem
Decorreu no domingo, dia 2 de setembro, na paróquia da Sagrada Família da Machava, arquidiocese de Maputo, Moçambique, a ordenação sacerdotal do diácono Célio João Fumo, missionário da Consolata, natural da Machava. Foi um acontecimento religioso e festivo que mobilizou as comunidades cristãs da paróquia de Machava, que muito colaborou na organização e dinamização da liturgia e do acolhimento.

A celebração eucarística da ordenação sacerdotal decorreu a céu aberto, no pátio da igreja da Machava. Uma imensa multidão de fiéis provenientes das nove comunidades da paróquia encheu o recinto da igreja. Foi uma celebração vibrante, bem participada e animada com cânticos e danças litúrgicas.

O diácono Célio entrou na Ordem dos Presbíteros pela imposição das mãos e pela oração do arcebispo do Maputo, Francisco Chimoio, que presidiu à celebração eucarística. Concelebraram vários missionários da Consolata de Maputo e alguns sacerdotes diocesanos. Estava presente também o padre Osório Citóra, missionário da Consolata que trabalha em Roma (Itália).

Na homilia, o arcebispo de Maputo, depois de ter feito uma reflexão sobre as leituras do dia, fez uma catequese muito concreta sobre o sacerdócio e sobre a importância dos presbíteros enquanto mediadores entre Deus e o seu povo. Chamou atenção aos presentes para a importância de respeitarem, valorizarem e apoiarem os seus sacerdotes. No final, agradeceu o imenso trabalho realizado pelos Missionários da Consolata na arquidiocese de Maputo, afirmando que esta ordenação é colher num campo onde muito semearam.

Este ano, os Missionários da Consolata celebram 70 anos de presença e atividade missionária na arquidiocese de Maputo. Em 1948, os primeiros missionários oriundos de Inhambane, fundaram a Missão de Santa Teresinha de Liqueleva. Em 1951 fundaram a paróquia de São Gabriel da Matola e em 1956 fundaram a paróquia da Sagrada Família da Machava. A paróquia da Machava foi também a primeira sede do Superior Regional dos Missionários da Consolata em Moçambique e sede do Seminário da Consolata entre 1987 e 1991. Depois de um significativo trabalho de evangelização e promoção humana, em 2007, os Missionários da Consolata entregaram a paróquia de Machava à arquidiocese.

Célio Fumo é natural de Maputo, onde nasceu em 1986. Entrou no Seminário Propedêutico dos Missionários da Consolata em Nampula em 2005. De 2009 a 2011 frequentou o Seminário de Santo Agostinho da Matola-Maputo, onde realizou o curso de Filosofia. Em 2012 fez o ano de noviciado e emitiu a profissão religiosa no dia 26 de dezembro desse ano. Terminou a sua formação sacerdotal no Seminário Teológico da Consolata, em Roma (Itália), no ano 2016. Em 9 de dezembro de 2017 foi ordenado diácono, em Turim (Itália).

No próximo domingo, o sacerdote celebrará a sua primeira Missa na Comunidade de Nossa Senhora da Consolata, onde reside a sua família. Depois, regressará para Itália onde continuará os seus estudos e atividade pastoral em Turim. Com esta ordenação sacerdotal, o número de sacerdotes missionários da Consolata naturais de Moçambique sobe para 14.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.