+ infoAcontecer
Fátima
Peregrinação a Fátima apela à união e construção da paz
Texto J.B. | Foto Santuário de Fátima | 13/09/2018 | 10:14
Os dramas humanitários no Médio Oriente, Nicarágua e Venezuela foram recordados em Fátima, com um apelo à união entre os povos do mundo para que seja possível superar os conflitos
imagem

Perante os atuais problemas da Igreja e a necessidade da sua superação, assim como a urgência de paz em todo o mundo, António Marto cardeal português, pediu a proteção especial de Nossa Senhora, no arranque da Peregrinação Internacional Aniversária de setembro a Fátima.

«Queremos confiar a Nossa Senhora, nesta peregrinação, os problemas da Igreja que vivemos na atualidade bem como pedir o dom da paz para o mundo, em especial para o Médio Oriente, para a Nicarágua e para a Venezuela», disse o bispo da diocese de Leiria-Fátima na tarde da última quarta-feira, 12 de setembro, na Capelinha das Aparições.

José Alves, arcebispo emérito de Évora, e presidente destas celebrações, mostrou aos diferentes peregrinos aquilo que os une, apesar das suas diferenças e proveniências diversas. «Aqui estamos todos em casa: com uma língua que nos une – o amor – e um vínculo muito profundo que nos liga uns aos outros, a Maria e a Deus que é a nossa fé», disse o prelado, deixando um apelo. «Abramos o nosso coração ao mundo pedindo a Maria que nos faça mais irmãos, mais unidos e mais construtores da paz», disse, citado pelos serviços de comunicação do Santuário de Fátima.

À noite, na missa da vigília, que teve lugar no recinto de oração, José Alves lembrou aos peregrinos que a palavra de Deus é «vida, e verdadeira luz espiritual» que «aponta o caminho a seguir» ao longo da vida. «Meditando na nossa vida, descobriremos que perante as nossas infidelidades, indiferenças e esquecimentos, Deus permanece Pai que nos ama com um amor indefetível e que nos espera para celebrar a festa do encontro e da alegria como fez o pai do filho pródigo», demonstrou o prelado.

O arcebispo emérito de Évora disse aos fiéis que «Deus nunca fica insensível aos corações atribulados», e que, à semelhança de Cristo, «sara as feridas do pecado e aponta o caminho a seguir para alcançar a plena inserção na comunidade». A Peregrinação Internacional de setembro à Cova da Iria conta com a participação de 46 grupos de peregrinos organizados, oriundos de 18 países. A missa da vigília foi concelebrada por 70 sacerdotes, três bispos e um cardeal.

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.