+ infoAcontecer
Fátima
Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa
Bispos comprometem-se em tornar a Igreja mais missionária
Texto F.P. | Foto Ana Paula | 12/11/2018 | 16:39
No discurso de abertura da Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa, o cardeal patriarca de Lisboa prometeu o empenho do episcopado em levar a evangelização «a todas as periferias», numa missão que deve envolver «todos, tudo e sempre»
imagem
Os resultados do Sínodo dos Bispos dedicado aos jovens, a celebração do Ano Missionário em Portugal e a aprovação de uma carta pastoral sobre o matrimónio e a família são alguns dos temas em agenda na Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), que decorre entre esta segunda-feira, 12 de novembro, e a próxima quinta-feira (15), em Fátima. Na sessão de abertura, o cardeal-patriarca de Lisboa e presidente da CEP, Manuel Clemente, destacou a necessidade da Igreja portuguesa acolher os jovens sem «autoritarismo» e reafirmou o compromisso do episcopado em desenvolver uma ação pastoral mais missionária.

«As condições atuais fazem da missão uma urgência evangélica em todos os campos socioculturais e numa geografia total, longe ou perto – por vezes muito perto até. Sobretudo nas zonas mais povoadas do nosso país habitam hoje populações das mais diversas origens e abrem-se espaços de autêntica `missio ad gentes´, a par de outros que requerem `nova evangelização´ e persistência da `ação pastoral´ própria das comunidades estabelecidas. A projeção missionária das comunidades, intercambiando o perto e o longe, é hoje a única possibilidade da respetiva manutenção e crescimento, como foi sempre a sua legitimação `cristã´ propriamente dita», afirmou o purpurado.

Recordando a Nota Pastoral da CEP para o Ano Missionário e o Mês Missionário Extraordinário, convocado pelo Papa Francisco, Manuel Clemente apelou, mais uma vez, para que surjam em todas as dioceses «Centros Missionários Diocesanos (CMD) e Grupos Missionários Paroquiais (GMP), laboratórios missionários, células paroquiais de evangelização que, em consonância com as OMP [Obras Missionárias Pontifícias] e os centros de animação missionária dos Institutos Missionários, possam fazer com que a missão universal ganhe corpo em todos os âmbitos da pastoral e da vida».

Em relação às conclusões do Sínodo dos Bispos dedicado à juventude, que vão ser analisadas no encontro, o presidente da CEP lembrou que «os jovens católicos não são meramente destinatários da ação pastoral, mas membros vivos do único corpo eclesial», que «contribuem para enriquecer o que a Igreja é, e não só aquilo que faz. São o seu presente e não só o seu futuro».

«É do `sujeito´ pastoral no seu todo que aqui se trata, devendo incluir o conjunto dos batizados e a respetiva contribuição específica. Também para evitar que a disponibilidade dos jovens se confronte com autoritarismos e desconfianças da parte dos adultos e pastores, que não reconheçam suficientemente a sua criatividade e demorem a partilha de responsabilidades», acrescentou Manuel Clemente.

Nas palavras iniciais dirigidas à assembleia, o cardeal-patriarca deu ainda conta da alegria para toda a Igreja que foi a criação cardinalícia de António Marto, bispo de Leiria-Fátima, bem como as nomeações episcopais de António Luciano Costa (Viseu), Francisco Senra Coelho (Évora), Daniel Henriques (auxiliar de Lisboa), Rui Valério (Forças Armadas e de Segurança) e Armando Esteves (auxiliar do Porto), e a escolha de José Tolentino Mendonça para arquivista e bibliotecário do Vaticano.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.