+ infoAcontecer
Portugal
Fragilidade da doença junta médica e jurista no Porto
Texto J.B. | Foto DR | 12/01/2019 | 15:52
Duas profissionais de áreas distintas vão reunir-se numa instituição de ensino superior do norte de Portugal, para prestarem esclarecimentos ao público sobre o testamento vital
imagem

Mónica Duque, jurista, e Edna Gonçalves, médica, vão deslocar-se ao polo do Porto da Universidade Católica Portuguesa (UCP), para falarem ao público sobre o testamento vital. A iniciativa está agendada para o próximo dia 19 de janeiro, e deverá iniciar pelas 10h00, prolongando-se até às 13h00.

A sessão insere-se num ciclo de conversas, organizadas pelos membros do «Grupo ao 3.º Dia», que decorrem sob o tema «Da fragilidade da doença à ternura lenta e obstinada pela vida». Através destas sessões, os seus dinamizadores pretendem «criar um espaço de formato informal e caráter formativo e reflexivo, com temas centrados na pessoa doente».

Os responsáveis pela iniciativa referem, em comunicado, que uma «doença grave é ocasião de choque e é necessário tempo para integrar essa nova realidade em que a fragilidade, comum a toda a pessoa humana, se torna mais nítida, mais exposta».

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.