+ infoAcontecer
Mundo
Estigmatização «sem precedentes» sobre refugiados
Texto F.P. | Foto ACNUR / Susan Hopper | 10/04/2019 | 17:34
Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados alerta para o aumento da «linguagem venenosa» contra os deslocados e para a falta de respostas ao problema das migrações
imagem
Em mais de três décadas como funcionário público internacional, o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Filippo Grandi, nunca tinha assistido a «tamanha toxicidade e linguagem venenosa na política, nos media e nas redes sociais» sempre que se fala de migrantes e refugiados.

«Existe uma estigmatização sem precedentes sobre refugiados e migrantes, e isso deve ser motivo de preocupação para todos», afirmou o responsável perante o Conselho de Segurança da ONU, salientando que as respostas a este problema são cada vez mais inadequadas.

Apesar deste clima, Grandi admitiu que ainda existe «muita solidariedade, até mesmo heroísmo em algumas das respostas fornecidas no terreno», em muitas partes do mundo, desde aldeias africanas até à fronteira entre Bangladesh e Myanmar (antiga Birmânia), mas também nas comunidades na América Latina que estão a ajudar os venezuelanos.

Para incentivar os bons exemplos, o alto comissário pediu ao Conselho de Segurança que aumente o apoio aos países em desenvolvimento, que abrigam 85 por cento dos refugiados do mundo, de forma a evitar que os governos desses países fiquem mais frágeis e expostos.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.