+ infoAcontecer
Mundo
Comissária da ONU inicia visita à Venezuela
Texto F.P. | Foto Antonio Cruz / ABr | 19/06/2019 | 15:23
Responsável pela agência das Nações Unidas para os Direitos Humanos estará três dias no país, a convite de Nicolás Maduro. Dirigente quer reunir com todos os atores da atual crise, incluindo vítimas de abusos
imagem
A alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, inicia uma visita à Venezuela, esta quarta-feira, 19 de junho, onde permanecerá três dias para tomar o pulso à grave crise, que se tem vindo a agravar com o calor da luta pelo poder e com as sanções dos Estados Unidos da América.

Três meses depois de uma missão da sua agência ter estado no terreno, é a vez de Bachelet se inteirar pessoalmente da situação, a convite do Presidente Nicolás Maduro, que lidera o governo desde 2013 e conduziu o país, outrora uma potência do petróleo, à pior recessão da sua história moderna.

A ex-Presidente chilena irá encontrar um país cuja economia se reduziu a metade entre 2013 e 2018, e onde a produção petrolífera perdeu dois milhões de barris diários na última década. O sistema de saúde e os serviços públicos entraram em colapso e um quarto da população, o equivalente a sete milhões de pessoas, necessita de ajuda humanitária urgente.
«Estamos a pedir a Michelle Bachelet para que veja o que se está a passar no nosso país. Não é uma mentira, como dizem os porta-vozes do governo, que não se está a passar nada», reclama Pedro Amado, representante de um grupo de trabalhadores petrolíferos em greve de fome desde 30 de maio, em Caracas, para exigir o pagamentos atrasados.

Os familiares de presos por motivos políticos também pedem à alta comissária que interceda pela sua liberdade. «Esperamos que possa reunir-se com os filhos, irmãos e esposas de todas as pessoas que foram executadas extra-judicialmente», apela, por sua vez, a diretora de investigações para as Américas da Amnistia Internacional, Carolina Jiménez.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.