Mundo
Saúde
Novos medicamentos para o ébola melhoram taxas de sobrevivência
Texto J.B. | Foto OMS | 14/08/2019 | 17:06
Agência das Nações Unidas afirma que mais de 90 por cento das pessoas infetadas podem sobreviver caso sejam tratadas precocemente com os dois novos medicamentos
imagem

Depois de um teste com dois novos medicamentos ter melhorado significativamente as taxas de sobrevivência, os responsáveis pela Organização Mundial da Saúde (OMS) esperam que em breve o ébola se torne numa doença «evitável e tratável». Segundo a agência das Nações Unidas, mais de 90 por cento das pessoas infetadas podem sobreviver caso sejam tratadas de forma precoce com os dois medicamentos que foram os mais eficazes de quatro testados em investigações com doentes na República Democrática do Congo.

Com as designações «Regn-EB3» e «mAb114», os medicamentos bem sucedidos combatem o vírus ébola com anticorpos, anulando a sua influência nas células humanas, conforme foi divulgado no início desta semana. Tedros Gebreyesus, diretor-geral da OMS, elogia o fruto das investigações que desde o passado mês de novembro foram dirigidas pela agência das Nações Unidas, com a colaboração de especialistas internacionais e de mais de 700 doentes.

Segundo Tedros Gebreyesus, a partir deste momento «pode ser oferecida aos pacientes uma oportunidade ainda melhor de sobrevivência». De acordo com a agência das Nações Unidas, os novos medicamentos serão utilizados em breve para tratar todos os pacientes na República Democrática do Congo, onde um surto ativo há cerca de um ano já atingiu mais de 2.671 pessoas, causando 1.790 mortos.

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.