+ infoAcontecer
Mundo
Efeméride
Mulheres homenageadas no Dia da Ajuda Humanitária
Texto J.B. | Foto Lusa | 19/08/2019 | 15:03
Secretário-geral da ONU realça que as mulheres «estão na linha de frente» em ações humanitárias, que vão desde cenários de conflito, a catástrofes naturais, passando também por surtos de doenças
imagem

O Dia Mundial da Ajuda Humanitária é celebrado esta segunda-feira, 19 de agosto, com especial destaque para a presença das mulheres em cenários de conflito e de catástrofes naturais em todo o mundo, o que leva a Organização das Nações Unidas (ONU) identificá-las como «heroínas desconhecidas, que há muito tempo trabalham nas linhas da frente, nas suas próprias comunidades, entre os campos mais difíceis».

Numa mensagem para a data, António Guterres, secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), refere que desde o apoio em contextos de guerra e tragédias naturais, à atuação em surtos de doenças, as mulheres «estão na linha da frente». O responsável destaca que a presença feminina «torna as operações de auxílio mais eficazes, aumentando o seu alcance», e «melhora a resposta humanitária à violência de género, que aumenta durante as emergências». Para dar maior destaque à participação das mulheres nestes cenários, a ONU apela à partilha destas histórias nas redes sociais, através da hastag #WomenHumanitarians.

O secretário-geral das Nações Unidas aproveita a data para apelar a líderes mundiais, bem como a todas as partes em conflitos, que garantam proteção a todos os trabalhadores humanitários. Em 2018 ocorreu o segundo maior número de ofensivas a funcionários humanitários, com 405 funcionários alvo de ataques, 131 mortos, 144 feridos e 130 sequestrados. No total ocorreram 226 incidentes no último ano.

Desde 19 de agosto de 2003, mais de 4,5 mil trabalhadores humanitários foram mortos, feridos, detidos, sequestrados ou impedidos de cumprir os seus deveres para prestar apoio às populações. A ONU estima que uma média de 280 funcionários deste setor sofram ataques por ano, uma quantidade que corresponde cinco vítimas por semana.

Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.