+ infoAcontecer
Fátima
Encontro Nacional da Pastoral Social
Cardeal exorta comunidades cristãs a serem oásis de acolhimento
Texto F.P. | Foto F.P. | 22/10/2019 | 16:54
Manuel Clemente lembra que o tema da nova evangelização proclamado por São João Paulo II e retomado pelo Papa Francisco é um convite a colocar os pobres no centro da vida da Igreja
imagem
O cardeal-patriarca de Lisboa desafiou os cristãos a fazerem um exame de consciência à sua forma de viver a fé, para perceberem se estão a continuar a missão de Jesus Cristo, se têm efetivamente disponibilidade para ouvir o outro e atuam com verdadeiro sentido de misericórdia nas suas comunidades. «Se o nosso programa não é o programa de Jesus Cristo, então não somos mais do que uma ONG [organização não governamental] respeitável», ironizou Manuel Clemente, na sessão de abertura do Encontro Nacional da Pastoral Social, esta terça-feira, 22 de outubro, em Fátima.

Convidado a dissertar sobre «Uma Igreja em saída ao encontro de todas as periferias», o cardeal, que é também o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), começou por lembrar que a essência de qualquer cristão está em seguir o programa de Jesus Cristo, lamentando que, por vezes, esta característica passe ao lado de muitas comunidades, demasiado envolvidas em reuniões, conferências, audiências e conversas.

«Há muita população que já se esqueceu das suas raízes cristãs e onde a fé não é uma realidade viva», alertou Manuel Clemente, afirmando que «não há vida cristã sem vida comunitária» e que há muita coisa que fica por fazer, em termos pastorais, apenas por falta de disponibilidade ou de capacidade «para escutar o outro».

Abordando o tema da nova evangelização, proclamada por João Paulo II e retomada noutro figurino pelo Papa Francisco, o cardeal-patriarca lembrou que esta nova evangelização não é mais do que «um convite a colocar os pobres no centro da vida da Igreja», é «estar com Jesus Cristo onde o Evangelho acontece».

«Onde houver cristãos, qualquer pessoa deve encontrar um oásis de misericórdia», concluiu o presidente da CEP, reforçando que os cristãos, enquanto Igreja, têm «uma única legitimação: continuar a missão de Jesus Cristo».

O 33º Encontro da Pastoral Social decorre até quinta-feira, 25, e tem como tem principal «Trazer as periferias para o centro». A situação das pessoas sem-abrigo, dos refugiados e da pobreza são alguns dos assuntos em debate, através das comunicações dos vários oradores convidados.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.