+ infoAcontecer
Fátima
Peregrinação missionária apoia Amazónia
Texto Juliana Batista | Foto DR | 01/02/2020 | 15:57
Bispo de Tete vai presidir à Peregrinação da Família Missionária da Consolata que reunirá fundos para formar jovens indígenas
imagem
Diamantino Antunes, primeiro missionário da Consolata português a ser ordenado bispo, vai deixar temporariamente a diocese que acompanha em Moçambique para se deslocar a Fátima para presidir à 30.ª Peregrinação da Família Missionária da Consolata, a 15 de fevereiro. Será a sua primeira deslocação a Portugal depois de em maio de 2019 ter sido nomeado bispo de Tete, uma diocese maior que Portugal, onde já visitou todas as paróquias.
 
«Sinto-me um felizardo. É um privilégio presidir à peregrinação. Ser cristão é estar em missão e pretendo levar fogo missionário, para que os peregrinos saiam mais animados na fé», adiantou Diamantino Antunes. A peregrinação deverá reunir cerca de seis mil pessoas, e a vigília jovem, na noite anterior, deverá juntar cerca de 300 participantes. A jornada vai decorrer com o tema «Atreve-te a seguir Jesus» e será uma ocasião para celebrar os 30 anos da beatificação de José Allamano, fundador dos Missionários e Missionárias da Consolata.

Além da Eucaristia, a peregrinação conta com momentos animados por jovens e vai reunir fundos para o projeto anual dos Missionários da Consolata em Portugal, que visa formar indígenas na Amazónia brasileira. «A peregrinação celebra o gesto das tantas pessoas que nos apoiam para ajudarmos os inúmeros projetos por esses países fora, naqueles países que são pobres e onde falta tanta coisa», refere Simão Pedro, sacerdote missionário da Consolata.
Qual é a sua opinião?
Login
Email: Palavra-chave:
Esqueceu-se da sua palavra chave?
Registar
Comentário sujeito a aprovação.